Páginas

CASA COR BH 2016

Uma Homenagem a Pampulha



Cadeira de Balanço Rio assinada por Oscar Niemeyer
Foto: Jomar Bragança

A Casa Cor Minas Gerais chega à sua 22ª edição, num momento muito especial para os mineiros. O conjunto arquitetônico da lagoa da Pampulha é declarado Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO, organismo das Nações Unidas para a educação, ciência e cultura. Aproveitando o momento, a Casa Cor Minas homenageia o conjunto moderno da Pampulha e, dessa forma, o Modernismo brasileiro, não só na arquitetura, mas nas outras formas de expressão como no desenho de mobiliário, nas artes e no paisagismo.


Banho do Homem e Oficina
Bárbara Sales
Foto: Daniel Mansur

Bar Notti
Sarah James, Felipe Soares e Ana Bahia
Foto: Jomar Bragança

Bento Restaurante 
Du Leal e Eduardo Beggiato
Foto: Jomar Bragança

Bilheteria
Flávia Freitas
Foto: Daniel Mansur

Círculo, Quadrado e um Quarto de Círculo
Gustavo Greco
Foto: Jomar Bragança

  Closet 
Carico 
Foto: Jomar Bragança

Fachada e Jardim de Saída
Paulo Pontes e Leo Arruda
Foto: Rafael Caminha

A Casa Cor é um evento no calendário anual de mostras de arquitetura, decoração e paisagismo e reúne arquitetos, decoradores e paisagistas para apresentarem livremente suas concepções utilizando o que o mercado oferece de melhor em lançamentos e tecnologia. Esse ano a mostra ocorre em 20 eventos nacionais (Alagoas, Bahia, Brasília, Campinas, Ceará, Espírito Santo, Goiás, Interior de SP, Litoral de SP, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina) e cinco internacionais (Miami, Peru, Chile, Equador e Bolívia).

Garagem de Estar Renault 
Angélica Araújo, Ana Andrea Barra e Chris Coelho
Foto: Jomar Bragança

Giardino e Spazio Di Vino
Droysen Tomich, Marcelo Serafim e Flávia Zambelli
Foto: Jomar Bragança

Hall e Suíte da Estilista
Maurício Bonfim
Foto: Estúdio Óptico

Home Theater 
Maria Gabriela Nogueira, Natacha Nascif e Juliana Couri
Foto: Jomar Bragança

Inhotim Box – Estufa
Foto: Jomar Bragança

Jardim da Lagoa
Felipe Pontes
Foto: Jomar Bragança

Lounge Casa do Baile
Renata da Matta
Foto: Jomar Bragança

A Casa Cor tem uma longa história de sucesso em Belo Horizonte. Foi o primeiro evento a reunir, de forma periódica, profissionais, lojistas e fornecedores para apresentarem ideias inovadoras e mostrarem ao público visitante o que o mercado oferecia de novidade. Profissionais que participaram da mostra fizeram história, conquistaram prêmios dentro e fora do Brasil e mostraram para além das montanhas o jeito mineiro de ser, viver e receber. Desde então, a cada ano, esse mix se renova para  expressar os novos caminhos da arquitetura e designe de interiores em Minas Gerais.

Quarto de Hotel
Junior Piacesi
Foto: Jomar Bragança

Sala Central
Patrícia Hermany
Foto: Jomar Bragança

Sala de Estar, Jantar e Piscina
Graziela Costa, Kívia Costa, Zuleica Lombardi e Érika Steckelberg
Foto: Jomar Bragança

Sala de Leitura
Pedro Félix
Foto: Daniel Mansur

Sala de TV da Família
Rosângela Mesquita, Eduardo Mesquita e Júnia Bernanos
Foto: Daniel Mansur

Sala de Vinho
Silvia Carvalho
Foto: Henrique Queiroga

Suíte da Menina
Flávia Gomes e Clena Madeira
Foto: Daniel Mansur

Suite Inverno Azul
Natália Botelho e Paola Corteletti
Foto: Jomar Bragança

. . .

{UMA PROGRAMAÇÃO ESPECIAL}

Camarim
Foto: Daniel Mansur

Teatro Casa Cor Minas
Foto: Daniel Mansur

O Teatro Casa Cor, foi projetado para receber apresentações de dança e música, exibições cinematográficas, oficinas infantis, festas semanais e exposições, além de abrigar a programação do projeto "Casa, Cor e Conversa". O projeto do teatro é assinado por um dos fundadores e atual diretor-técnico do Grupo Corpo, Pedro Pederneiras juntamente com os arquitetos Filipe Pederneiras e Thiago Bandeira, além da designer de interiores Valéria Junqueira e pela bailarina e também designer de interiores, Gabriela Junqueira. Imperdível o “camarim dos sonhos”, localizado atrás do teatro, o espaço tem um painel assinado pelo artista Fernando Velloso e mobiliário assinado por designers brasileiros.

 Cozinha Conceito
Cristina Menezes
Foto:Jomar Bragança

Para os amantes da gastronomia, as atividades da Cozinha Inusitada serão ministradas no espaço Cozinha Conceito, projeto da arquiteta Cristina Menezes, encontros para adultos e crianças, onde os participantes poderão aprender os segredos da cozinha mineira pelas mãos dos mais talentosos chefs. O evento tem concepção de Gabriel Trillo, responsável pelo Café Cine Brasil. 



Exposição “Ser” Moderno
Pedro Lázaro
MAP | Museu de Arte da Pampulha

Já a exposição “Ser” Moderno tem curadoria do arquiteto Pedro Lázaro e estende a mostra para o Museu de Arte da Pampulha. Além da cenografia cuidadosa, a ambientação traz uma seleção de móveis originais de época com assinatura de Oscar Niemeyer, Jorge Zalszupin e Joaquim Tenreiro. O mobiliário brasileiro contemporâneo também está muito bem representado, destaque para os designers Olavo Machado Neto e Zanini de Zanine. 
. . .

{CONJUNTO ARQUITETÔNICO DA PAMPULHA}


O conjunto da Pampulha tem suas origens na administração do Prefeito de Belo Horizonte, Otacílio Negrão de Lima. No plano de Negrão de Lima, o ribeirão Pampulha foi represado em 1936, formando a lagoa. Nessa proposta inicial, a lagoa serviria ao abastecimento de água e o seu entorno abrigaria um cinturão verde destinado a prover a cidade de hortifrutigranjeiros. Juscelino Kubitschek sucedeu Negrão de Lima e alterou o destino da Região. Imbuído do ideal desenvolvimentista, o novo Prefeito concebe a Pampulha como o futuro vetor de expansão da Capital. De região rural, ela se tornaria um novo centro de lazer, esportes náuticos e boemia para os Mineiros.

Oscar Niemeyer teve contato com Kubitschek por meio do também mineiro Gustavo Capanema. Capanema era Ministro da Educação no governo de Getúlio Vargas. Niemeyer participou do projeto do edifício da nova sede do Ministério, hoje “Palácio Capanema”. A concepção visionária de Niemeyer foi ao encontro dos ideias de Kubitschek e ali nasceu uma parceria que em cerca de alguns anos iria da Pampulha à Brasília, a nova Capital Federal, já com Kubitschek como Presidente da República.

A Pampulha é um marco na arquitetura brasileira e mundial. Ali o Brasil apresenta uma produção arquitetônica autônoma, não mais como mera aplicação dos preceitos corbusianos ou como ressonância do “Estilo Internacional” que se desenvolvia na Europa e na América do Norte. O que melhor explica essa revolução no pensamento arquitetônico é o próprio Niemeyer, que certa vez disse: "Era um protesto que eu levava como arquiteto, de cobrir a igreja da Pampulha de curvas, das curvas mais variadas, essa intenção de contestar a arquitetura retilínea que então predominava". É essa revolução que trouxe a arquitetura para mais perto do modo de vida do homem moderno que pode ser vista no conjunto da Pampulha.



. . .

Veja mais em:
Site: www.casacorminas.com.br 
Facebook: www.facebook.com/casacormg 
Instagram: @casacorminas 

CASA COR Minas Gerais 2016 
De 30 de agosto a 04 de outubro de 2016 
Endereço: Alameda das Latânias, 30 – São Luiz – Pampulha – Belo Horizonte 





Nenhum comentário: